28/06/2008

mais coisas boas

Ainda à descoberta, cada vez me parecem melhores. Wild Beasts Sylvia, A Melodrama

coisas boas

Wild Beasts The Devil's Crayon Não os conheço mas vou procurar, porque esta canção é muito boa, até estou a respirar melhor.

27/06/2008

Apetece-me Terra

Apetece-me terra que me apetece ser, e a pertença ao lugar onde estou. Ser todos os grãos de vida que não é, e o magma perene de solidão. Destruir o abismo de medo, e também os conceitos e preconceitos, os desenganos e desesperos, as angústias e os devaneios, as alegrias temperadas em sal insonso ou as mágoas todas que sou e faço, adubar-me do nada que não sei, e transformar esta vida que tem que ser, porque existe, no lugar terra a que quero pertencer. Sétima Legião A um Deus Desconhecido

26/06/2008

afinal às vezes...

Ontem, pela primeira vez nos meus 38 anos de vida, pensei que ia morrer. Acabado de sentar para almoçar com os meus pais, filho e namorada levantei-me e disse. Não estou bem, não estou nada bem, chamem uma ambulância. No momento preciso em que pensei que caía para o lado, chamei o meu pai, sempre o meu pai, desde puto que é assim. Felizmente aguentei, sentei-me com a cabeça entre as pernas, as mãos no peito, respirei fundo e fui-me agarrando ao ar todo que encontrava. Isto porque para chamar a ambulância passou-se cerca de 30 minutos ao telefone, entre a minha mãe, namorada e um farmacêutico amigo que subiu rapidamente da farmácia do prédio, se fosse mesmo para morrer era certinho, qual ambulância, acho que só queriam saber quanto é que eu pesava e coisas do género (1,75 de altura e 68 Kg de peso satisfeitos, pode ser que alguma pessoa do INEM esteja a ler isto). Ao fim de algum tempo lá consegui levantar-me, o meu pai levou-me ao hospital de Almada, público, onde fui muito mas muito bem tratado. Já lá tinha estado há uns anos para levar uns pontos num sobrolho e mais duas ou três vezes com os meus filhos, o atendimento foi sempre excelente, volto a dizer hospital público. Aimee Mann Save me - Parece que foi só um ataque de ansiedade e nervos, mas que me parecia um ataque cardíaco parecia, aliás ainda sinto uma pressão forte no peito. Enfim, deve ser só o peso da vida.

Afinal a vida não é uma merda

Na noite de terça fui ver o Indiana Jones com o meu puto (10 anos), quando voltávamos para casa perguntei-lhe, já sabendo a resposta, se tinha gostado do filme. Afinal ele foi mais longe e diz-me. Claro pai e estou muito feliz, tu também estás? Tu estás eu também estou, respondi. Este filme deixou-me feliz, afinal a vida não é uma merda. Engoli em seco, enrolei o meu braço à volta do pescoço dele e disse. Pois não filho, existe muita coisa bonita para se ver. Para o Miguel a banda e música que ele mais gosta. The Killers mr. brightside

23/06/2008

Reflexo III

n: - Onde estás amor? Rosa: - Não me chames amor. n: - Porquê? Sabes que eu gosto. Rosa: - O amor não se chama faz-se. Reflexo I Reflexo II

FDS

No fds é quando mais tempo estou a olhar para um computador, estou na fase de misturas e é uma trabalheira. Isto está bom, isto não está, isto podia estar melhor, será necessário regravar, um efeito aqui, tira o outro dali e por aí fora. Enfiado no estúdio desligo do mundo, e sabe tão bem. Tom Waits What's he building in there?

20/06/2008

Coldplay

Ao 3.º disco os Coldplay começaram a ser olhados de lado, demasiado mainstream, penso que seja este o pecado. Como eu não sei o que é o pecado continuo a gostar. Agora lançaram um extraordinário, diz neste momento o António Sérgio na Radar, 4.º disco, já ouvi e concordo. O Brian Eno ajudou como tem feito ao longo dos anos com muitos outros. A canção não é das melhores do disco, mas o teledisco vale a pena.

19/06/2008

auto-retrato

Trabalho feito para o curso de fotografia que a minha filha, Mafalda Paiva, está a tirar na ETIC. Teve uma nota muito alta e eu fico feliz, não pela nota mas porque gosto muito do trabalho. video

17/06/2008

Esquecidos ou quase

The Woodentops You make me feel why why why

Arejar

Donde sou vejo o Sul, o Sol que me nasce à esquerda,
empina ao meio-dia e, agora que é Inverno, se põe às 6 pm,
obliquando ocidente abaixo donde sou à direita,
pm sim, um estrangeirismo porque o tempo estranha-me
e dezoito é uma eternidade demasiado grande.

Donde sou, parado em movimento, vejo o sol mover-se parado,
desde o alvor da madrugadora até ao declínio do crepúsculo,
e penso na ilusão das coisas, na ilusão de todas as coisas,
no engano de um centro perene que nunca serei,
e no equívoco dos sentidos que nos ensinam a seguir.

E,
desde a névoa que o vermelho da aurora matinal esbate,
ao crescimento de uma luz de um dourado intenso,
transformando este dia numa claridade azul frio de Inverno,
até ao ocidental ocaso vestido de vermelho púrpura,
envolto em nuvens escarlate indefinido fazendo vénias à noite,
donde sou, erro a matéria que me faz e duvido do que vejo.

E
aqui estou,
donde sou,
reflexo inorgânico de solidão parada,
sombra baço desbotada,
embaciada em orvalho madrugador.

Assim, procuro a simplicidade,
o breve momento em que me confundo com uma gota húmida do orvalho.
Fotografia: mp

16/06/2008

Privados

A minha aventura com as telecomunicações continua, telefonemas para cá e para lá e a constatação de um serviço muito mau. Antes era por ser público, horas perdidas nos bancos, nos notários e muitos outros serviços, era preciso e urgente concorrência. Foi tudo privatizado com promessas de maior eficiência, eficácia e produtividade, essas palavras merdosas tão queridas hoje em dia. Comparo preços, serviços prestados, observo a simpatia, o atendimento, analiso os concorrentes e é tudo igual ou muito pior. Alguém me explica para que servem as privatizações? José Mário Branco - FMI

15/06/2008

Digital

Desde quarta sem serviço de internet e telefone, apenas para mudar o titular do contrato e para uma box digital. Isto não me parece nada digital. Não há crise tenho uma paciência analógica.

11/06/2008

Portugal

Pensava que iria faltar combustível aos jogadores portugueses, não faltou. Estão umas elites a falar de transpor os "sucessos" do futebol para o resto da sociedade. O futebol é coisa de xunga, isso mesmo chunga, e o problema de portugal nunca foi a chunga foram sempre as elites, a xunga chunga sempre fez pela vida, aqui e fora daqui, o resto são elites. Amanhã vou a pé ou durmo o dia inteiro, que se lixe, ou melhor, que se foda que eu também sou xunga chunga.

Era bom era, mais não vai ser

It's The End Of The World As We Know It REM Amanhã dão-nos uma pastilha elástica e ficamos todos fine.

07/06/2008

Rock in Rio

Por razões que não interessam, fui, pela primeira e espero última vez, ao Rock in Rio, não que não goste de concertos, mesmo em festivais desta dimensão, mas faz-me assim um bocadinho impressão aquelas coisas de um mundo melhor, a natureza, ajudar os pobres e por aí fora. Fora sim, porque lá dentro era Macdonald's, Pizza Hut, Coca Cola, Vodafone, Millenium enfim, tudo pequenas empresas em dificuldades que não apelam nada ao consumo, essa coisa que não faz mal nenhum ao mundo melhor. Aliás, acho até que os empregados dessas empresas também estavam lá para ajudar, prescindiram do muito que ganham por hora para dar aos pobres e aos animais em vias de extinção, ou para a criação de minhocas que podem fazer falta para os hambruges e a manutenção daqueles postos de trabalho bem remunerados. Bem, mas aquilo era para concertos, som, música, rock, verdade, talvez um bocado de emoção, assim só um bocadinho inho inho, pois era, e também para putos a irevireempurraretelefonaretirarfotografiasemandarmensagensefalar e o raio que os partisse que eu estava a tentar qualquer coisa, talvez ouvir música. Apesar da inflamação nas costas de andar a contruir o meu estúdio, tudo com materiais reciclados (do lixo), por causa dessas coisas da natureza e um mundo melhor e da pobreza, pelo menos a minha, lá me coloquei ao lado da mesa de som, sitio onde o som deve ser o melhor porque está lá a mesa que é do som e do técnico que nela mexe para que som esteja bom, desculpem mas gosto da palavra som, e estava, o som estava bom, menos mal, o pior foi o resto. Primeiro os Orishas, nem com bolinhos, emoçao zero parecia um disco a tocar, música a metro como diz o meu pai. Depois os Kaiser Chiefts, música à balda com muita pseudo-energia, não há pachorra, muito fraco. Finalmente, sem perceber porque já, os Muse, melhor os comprimidos ainda me estão aguentar as costas. Não sei se é porque Matthew Bellamy toca guitarra como quem quer comê-la, se porque toca piano como se estivesse a embalar crianças ou se porque canta como se fosse morrer no fim de cada música, mas gosto deste tipo, além disso não diz baboseiras nem vai agarrar-se com a multidão, apesar de ser quem mais transpirou, suspirou, respirou música naquele palco. Admira-me a organização de apoio à guitarra não se queixar, ele trata-as tão mal que tinha de trocar em cada música, todas negras coitadas. Demasiado épicos? Sim e depois. The Offspring, as costas fizeram-me recuar, nunca tinha visto ao vivo e sempre achei piada a esta banda, deixa ver, sentei-me e esperei. Competentes mas inconsequentes, tirando a voz aquilo parecia UHF nos anos 80, o que só por si não é bom nem é mau. Para o fim melhorou e dizia o meu irmão, isto faz-me lembrar os Flintstones, pois o que me leva aos B-52's, sempre achei estes Offspring uns B-52's mais barulhentos mas menos imaginativos. O que é que isto tem haver com UHF? Não sei, mas vou ali ver e já venho. Não vim, fui, com as costas a doer acham que ia ver Linkin Park, enquanto saía ainda ouvi um puto a cantar e de vez em quanto fazia birra e gritava e farto de putos já estava eu. É verdade parece que os LP fecharam a noite porque são a banda que mais discos vende, o que me parece um bom critério, tendo em conta aquelas coisas de um mundo melhor, a natureza, os pobres e etc, bem para os meus pobres ouvidos foi bom, descansaram mais cedo.

06/06/2008

Hipocrisia

Todas as pessoas com dinheiro que tenho conhecido ao longo da vida, alguns até familiares, são de uma hipocrisia tal com a qual não consigo lidar nem aprender a lidar. Já pensei que perdia muito com isso, mas, cada vez mais, acho que só tenho ganho, apesar dos bolsos vazios e dos sonhos que não realizo. Se calhar tenho tido azar. God's Away On Business Tom Waits I'd sell your heart to the junkman baby For a buck, for a buck If you're looking for someone to pull you out of that ditch You're out of luck, you're out of luck Ship is sinking, the ship is sinking There's a leak, there's a leak in the boiler room The poor, the lame, the blind Who are the ones that we kept in charge? Killers, thieves and lawyers God's away, God's away God's away on business, business God's away, God's away God's away on business, business Digging up the dead with a shovel and a pick It's a job, it's a job Bloody moon rising with a plague and a flood Join the mob, join the mob It's all over, it's all over There's a leak, there's a leak in the boiler room The poor, the lame, the blind Who are the ones that we kept in charge? Killers, thieves and lawyers God's away, God's away on business, business God's away, God's away on business, business Godddamn there's always such a big temptation To be good, to be good There's always free cheddar in a mousetrap, baby It's a deal, it's a deal God's away, God's away on business, business God's away, God's away on business, business I narrow my eyes like a coin slot baby Let her ring, let her ring God's away, God's away on business, business God's away, God's away on business, business

04/06/2008

Vampire Weekend / Modest Mouse

Não percebo a excitação com os Vampire Weekend, talvez um torrão de açucar, usando a classificação gira do Lourenço do blog O Nascer do Sol, mas do amarelo para lhe dar um toque meu. e concordo com ele, os Modest Mouse, banda que acompanho desde o início, tem vindo a escurecer a pérola que são, o Johnny Marr ajudou. O nascer do Sol: Discos preferidos - Ratinho Modesto - A lua e a ant�rctida#links#links#links

Palavras

Parece que os preços da gasolina não são iguais, são paralelos. E um paralelo em cima da cabeça desta gente.

03/06/2008

Assírio & Alvim

Quando tinha 14 anos, o meu pai trabalhava numa gráfica na Passos Manuel onde eram feitos muitos livros para a Assírio & Alvim, Manuel Hermínio Monteiro oferecia sempre um exemplar para o meu pai me trazer, foi assim que passei dos cinco e dos sete para outras leituras. Mais tarde, numa gráfica que tive com o meu pai e irmão, faziamos todo o trabalho de pré-impressão de alguns daqueles livros que eu tanto gostava, foi um prazer trabalhar para e com eles. Isto porque existe um blog novo, está aí e ali ao lado. http://www.assirioealvim.blogspot.com/

Bo Diddley

As grandes guitarradas ficam mais pobres sem Bo Diddley.

02/06/2008

Sufocar

Californication é uma série muito boa por n coisas e muitas razões. Uma das coisas é aquele carro cor de pó. Uma das razões está aí na forma como começou. Vejam.

Respirar

Vejo a tua boca abrir-se ao infinito, os olhos fecharem-se vagando sossego, as mãos abertas nos braços colhidos, os lábios mover e dizerem-se, ao ouvido sussurrando. Foi bom, meu amor, amo-te muito. I Want You Elvis Costello Oh my baby baby I love you more than I can tell I don't think I can live without you And I know that I never will Oh my baby baby I want you so it scares me to death I can't say anymore than "I love you" Everything else is a waste of breath I want you You've had your fun you don't get well no more I want you Your fingernails go dragging down the wall Be careful darling you might fall I want you I woke up and one of us was crying I want you You said "Young man I do believe you're dying" I want you If you need a second opinion as you seem to do these days I want you You can look in my eyes and you can count the ways I want you Did you mean to tell me but seem to forget I want you Since when were you so generous and inarticulate I want you It's the stupid details that my heart is breaking for It's the way your shoulders shake and what they're shaking for I want you It's knowing that he knows you now after only guessing It's the thought of him undressing you or you undressing I want you He tossed some tatty compliment your way I want you And you were fool enough to love it when he said "I want you" I want you The truth can't hurt you it's just like the dark It scares you witless But in time you see things clear and stark I want you Go on and hurt me then we'll let it drop I want you I'm afraid I won't know where to stop I want you I'm not ashamed to say I cried for you I want you I want to know the things you did that we do too I want you I want to hear he pleases you more than I do I want you I might as well be useless for all it means to you I want you Did you call his name out as he held you down I want you Oh no my darling not with that clown I want you, I want you You've had your fun you don't get well no more I want you No-one who wants you could want you more I want you, I want you, I want you Every night when I go off to bed and when I wake up I want you I'm going to say it once again 'til I instill it I know I'm going to feel this way until you kill it I want you, I want you, I want you